sexta-feira, 29 de abril de 2011

terça-feira, 19 de abril de 2011

A HISTÓRIA DO OVO DE PÁSCOA

O costume de dar ovos na Páscoa vem sendo transmitido de geração em geração. De acordo com estudos históricos, a trajetória deste costume é a seguinte:


Na Europa, a Páscoa coincidia com a chegada da primavera. Os vizinhos se presenteavam com cestas, cheias de frutas, verduras e ovos, todos benzidos pelos sacerdotes locais.
Esse costume chegou aos ouvidos dos reis e eles gostaram muito. Começaram então a praticá-lo, mas com uma diferença: no lugar dos ovos comuns, eles usavam ovos de ouro, prata e diamantes. Quanto mais valiosos, mais poder representavam.
Os ovos ficaram cada vez mais bonitos e, durante uma Páscoa no século XVI, o rei da França foi surpreendido por um ovo que podia ser aberto. Em seu interior havia um crucifixo de ouro. Desde então, os ovos começaram a vir com surpresas dentro.
Esta tradição foi se aperfeiçoando e os presentes dependiam da situação econômica do lugar. Um dia, Luís XV enviou um ovo enorme para uma dama, com uma estátua do deus do amor. Que declaração!
Os ovos de Páscoa começaram a ser decorados e pintados por volta de 1.700. Artistas começaram a fazer verdadeiras obras de arte nos ovos.
Napoleão Bonaparte presenteou sua esposa com um ovo de chocolate coberto com ouro, com um impressionante colar de pérolas como surpresa dentro.

domingo, 17 de abril de 2011

“Daqui a cem anos, não importará o tipo de carro que dirigi, o tipo de casa em que morei, quanto tinha depositado no banco, nem que roupas vesti. Mas o mundo pode ser um pouco melhor porque eu fui importante na vida de uma criança.” (autor desconhecido)

Poema
NOSSA BRINCADEIRA
"Cleudete Oliveira"

Já estou de férias
Eu só quero é brincar
Para comigo jogar bola
Meu amigo irei chamar

Andar de skate na rua
Empinar pipa e seu mestre mandou
Pular amarelinha
Minha mãe me ensinou

Brincar de adivinha
O que é o que é tanto faz
Eu sou uma criança
E brinco com o que me satisfaz

De pic-esconde ou pega-pega
Com bicicleta ou carrinho
Brincar de cabra cega
Ou com o meu coelhinho

A brincadeira que eu mais gosto?
Ah, você sabe, então diz:
É aquela que sempre me deixa
Completamente feliz
É na ternura
das coisas simples,
que a educação
encontra o campo fértil
para crescer.